Resenha: No meio do caminho tinha um amor - Matheus Rocha

by - segunda-feira, agosto 22, 2016


Sinopse: 'Eu achava que o amor existia, mas não era pra mim. Você foi a prova que eu estive errado por muito tempo!' – Matheus Rocha. Às vezes, a gente insiste em viver um relacionamento que já chegou ao final faz tempo. Tentamos resistir, fazer de tudo para durar mais, lutando para trazer de volta os momentos mágicos do início. Mas, quando o amor acaba, no lugar do conforto e do carinho que existiam só restam feridas que vão doer por um bom tempo e deixar cicatrizes que não desaparecerão. Porque o amor nem sempre é para sempre. Com o fim vem a tristeza, a saudade, a mágoa, o desespero e a vontade de nunca mais sentir aquela dor. Aí fechamos as portas ao perigo de sermos machucados outra vez, mas também à chance de sermos amados de novo. Um belo dia, quando as lágrimas já secaram e nos esquecemos do desconforto, com muito cuidado abrimos uma fresta só para ver a vida lá fora. E, assim como um raio de sol que entra por qualquer brecha, de repente uma vontade de recomeçar nos invade e tudo volta a fazer sentido. E, sem nem saber como, no meio do caminho avistamos novamente o amor – e a certeza de um novo começo!
créditos: instagram

O livro é repleto de crônicas, e cada uma tem cerca de uma página.  A obra é dividida em três partes: fim, meio e começo. A leitura de "No meio do caminho tinha um amor" é muito rápida, pois as crônicas são bem curtinhas.

Não conhecia do blog de Matheus Rocha, o Neologismo. Confesso que resolvi ler o livro pela capa, pois me conquistou!

O que me incomodou bastante é que nas primeiras 100 páginas do livro todas os textos são sobre desilusão amorosa e fossa, então ficou um tema bem cansativo. A obra começa pelo "fim" do relacionamento, entendo que tais textos deveriam ter esse tom mais pessimista, mas acho que deveriam ter intercalado os assuntos das crônicas para não ficar um tema muito pesado para o leitor. Tirando isso, gostei bastante do restante das crônicas, são bem reais e de fácil identificação entre narrador/leitor. A linguagem é bem simples, de fácil entendimento. Acredito que seja por isso que temos uma proximidade tão grande com as crônicas. É tudo muito singelo e real. 
créditos: instagram

A diagramação do livro é um luxo puro. Muitas cores, ilustração magníficas de Phellipe Wanderley, e frases bonitas. Isso sem mencionar a capa, que é uma explosão de cores! Linda mesmo! Um parabéns enorme para quem organizou essa parte visual, conquista qualquer um que abra o livro em alguma livraria. 


Nos encontre nas redes sociais:

You May Also Like

1 comentários

  1. A escrita é bonita, mas não curto muito esse tipo de leitura. Ainda mais sabendo que as primeiras páginas são tão deprê!


    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderExcluir