Resenha: Ninfeias Negras - Michel Bussi

quinta-feira, março 02, 2017

Sinopse: Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, Claude Monet, um dos maiores nomes do Impressionismo, a imortalizou em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as ninfeias no laguinho. É nesse cenário que um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista. Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente de morte e mistério em que cada personagem é um enigma à parte - principalmente as protagonistas. Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério. Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.


Ninfeias Negras prometia tudo que um bom thriller pode proporcionar: segredos, reviravoltas, personagens diferentes... mas será que é mesmo tudo isso?

O livro gira em torno do assassinato de um oftalmologista. Somado a isso, a história de três mulheres e quadros perdidos de Monet. É um pouco confuso, preciso confessar, mas num todo você entende a história. 

Fanette, a criança prodígio que pinta quadros, foi minha personagem preferida. Esperta, corajosa e com uma vida sofrida. Os policiais que tentam desvendar o crime também cativaram, apesar de eu achar algumas cenas forçadas demais, beirando ao cômico. Não combinou com a história.

Nunca demorei tanto para ler um livro. Apesar de uma história interessante, não flui rapidamente, aliás, não flui at all. Levei cerca de 3 semanas, e isso para mim é uma eternidade (costumo ler 2 a 3 por semana). 

O final foi ao mesmo tempo decepcionante e surpreendente. Isso porque entendemos o motivo de as três personagens - a criança, a professora e a idosa - estarem ligadas. É genial, apesar da confusão nas primeiras páginas. O que me decepcionou foi a motivação e a identidade do assassino, acho que o Michel Bussi poderia ter explorado  muito  mais, inventado outra coisa, já que foi criativo o bastante para criar uma história envolvendo Claude Monet e Giverny.

Num geral, é uma história boa, mas já li thrillers mais emocionantes. Alguém aí conhece o livro?

Nos encontre nas redes sociais:

         Facebook Twitter Instagram 

Leia também

1 comentários

  1. Oiii Monique

    Que pena que foi uma leitura densa e arrastada pra ti, realmente pela premissa parecia ter tudo pra ser um bom livro. Espero que tuas próximas leituras te surpreendam muito mais.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir